Buscar
  • Marketing

Conheça os problemas com a conciliação de recebíveis que precisam ser evitados

Atualizado: Jan 20

Quando se trata dos recebíveis, alguns pontos devem ser evitados ao máximo. É isso o que queremos mostrar para você, neste artigo. Boa leitura!

Qualquer empresa, independente do seu tamanho, precisa ter um departamento financeiro organizado e capacitado. Afinal, ele é o responsável pela gestão financeira do negócio.


Entre as atividades executadas por esse setor estão o controle bancário, a gestão de contas a pagar e receber e o planejamento financeiro. E em meio a todas essas atividades, há uma que necessita atenção redobrada: a conciliação financeira.


O que é preciso levar em conta na conciliação bancária?


Com a conciliação de pagamentos, é possível identificar o real lucro do negócio e também acompanhar detalhadamente este processo. Assim, você terá um balanço preciso de como andam as contas da empresa.


Vendas por dinheiro, cartões, vouchers, aplicativos ou cheques. Todas essas modalidades exigem um trabalho de retaguarda para os negócios. Isso porque eles nascem no ponto de venda (PDV) e dão rastreabilidade do início até a liquidação no ERP (ou Sistema Integrado de Gestão Empresarial), o que se torna muito complexo na hora da conciliação.


Neste caminho, é preciso analisar se:

  • as taxas praticadas estão corretas;

  • os créditos das vendas serão liquidados;

  • foram cobrados aluguéis de equipamentos;

  • o numerário foi depositado adequadamente.

Quando feitas de maneira incorreta, essas ações acarretam em perdas financeiras que são prejudiciais à saúde das empresas. Além do custo operacional que traz às áreas envolvidas no processo de conciliação.


Compreender com precisão os valores de entrada e saída é primordial ao controle do fluxo de caixa, evitando assim que as contas entrem no vermelho e o funcionamento do negócio fique comprometido.


Conciliação: conheça os problemas que devem ser evitados


Para ser competitiva, a empresa deve oferecer várias opções de pagamento. O problema é que, com tantos meios, a empresa deve saber como fazer conciliação bancária de tudo. É fundamental, neste quesito, evitar alguns pontos quando o assunto é recebíveis.


Confira duas situações importantes que listamos:


1 – Conciliação de cartões e vouchers

Ao fechar um contrato com uma operadora de cartões, é estabelecida uma taxa a ser paga sobre as vendas realizadas. Porém, com o tempo, é comum que ela não seja conferida pelo lojista. Também é importante:

  • Verificar as taxas administrativas cobradas pelas adquirentes (entidades licenciadas que analisam e aceitam estabelecimentos em seu programa de cartões e processos de transações financeiras);

  • Checar se o aluguel do POS (Point of Sale – ponto de venda ou maquininha) está sendo descontado no valor e na frequência corretos;

  • Identificar quantos cancelamentos de venda ocorrem por dia – e como acontecem;

  • Controlar as antecipações de recebíveis e mostrar quanto o lojista tem para receber futuramente pelas vendas atuais.

Lembre-se que uma das principais funções da conciliação de cartão é apontar se tudo está sendo cobrado corretamente, evitando recolhimentos indevidos por parte das operadoras.


2 – Dinheiro físico

O dinheiro físico também pode apresentar uma série de problemas. Isso porque o controle da quantidade de cédulas que entram no caixa é mais difícil quando comparado ao cartão, que tem registro de tudo. Neste caso, temos 3 (três) situações a evitar:

  1. Sangria de caixa: retirada não programada do caixa pode induzir até à apropriação indébita do dinheiro, quando não controlada de forma adequada.

  2. Bananinha: depósitos feitos em cofres boca-de-lobo, sem controle.

  3. Coleta de valor: pode haver fraude na conferência e no crédito desse dinheiro. Neste caso, a empresa pode receber o valor errado e até não receber, por exemplo.

Independente do porte da empresa, fazer a conciliação de recebíveis é primordial para evitar que as contas fiquem no vermelho. Pode ser feita por amostragem, de forma manual ou através de um sistema de conciliação bancária.


Com soluções tecnológicas, há a possibilidade de zerar estas perdas, garantindo completa rastreabilidade da venda desde o momento no PDV até a sensibilização no ERP. Reduzindo também os custos operacionais, dando total acuracidade à operação de conciliação.Quer conhecer mais sobre esse assunto? Confira as novidades publicadas em nosso blog.



8 visualizações0 comentário